O Suicida

Olá, se você encontrar esse post é por que  já não estou mais vivo.

  Durante anos da minha vida dediquei todo meu tempo e criatividade para escrever neste blog, sempre busquei inspiração nas coisas tristes do dia a dia, por que acho que as pessoas gostam de ler sobre isso para se sentirem melhores em suas vidas, olhado para o sofrimento alheio posso sentir como minha vida é plena e feliz, poxa como um suicida pode falar de felicidade? Poderia reclamar disendo como minha vida NÃO é plena e feliz.
  Peço desculpas para minha família e amigos pelo meu vicio de ficar horas aqui, escrevendo e criando um mundo só meu onde as pessoas passam e olham como em uma vitrine, ah como isso me contenta, ou melhor me contentou agora acho que isso não é mais o suficiente para mim.
  Não fiz um testamento, não tenho nada para deixar, a não ser o meus artigos que estão aqui e considero como obras invendiveis de grande preciosidade, caso as aprecie lembrem que eu exijo direitos autorais.
  Apenas peço que alimentem meu peixe, como perdi tudo quando roubaram meu notebook e hackearam meu orkut e MSN não me resta mais nada além de dois minutos da hora da lan house e minha vida que vou perder agora...

E quando o dono da lan house viu que o cara estava jorrando sangue apenas se preocupo em que ele não o derramasse no teclado e não sujasse o piso, depois de arrastar o cara pra fora, atravessou a rua e ligou de um orelhão para a emergência, Emergência em limpeza LTDA, Faxinas 24h atendendo a domicilio!

  
 _________________________________________

Só pra constar eu não me matei!
Primeiramente eu queria relatar como as pessoas deixam de viver e se apegam os bens materiais e esquecem de, como dizer? Seria o viver de verdade, a ideia foi mostras como as pessoas são desumanas e se importam cada vez menos com as outras.

Ato de ouvir música


  Esse Artigo de foi escrito por mim e por minha best friend Escarabeli, confesso que muito  mais por ela do que por mim, mas a ideia e a nota foi em conjunto...E desde de já peço desculpa para quem é fã dos coloridinhos ( se aplica ao teletubbies e ao Rsetart ).  

 A música desde o principio foi um método utilizado pela sociedade para expressar os acontecimentos de sua época notamos esse fato ao observarmos as músicas que foram feitas quando o Brasil passava pela ditadura militar embora fossem reprimidas as músicas eram grandiosas, voltadas para os acontecimentos sociais e políticos.
  Com o tempo esse quadro foi mudando e as novas gerações se submetendo as tendências impostas pela midia que utiliza todos os seus argumentos com a finalidade de lançar novos sucessos e alcançar audiência, assim esses novos estilos e grupos crescem conforme a convivência dos grandes empresários do ramo.
  Por mais que a música cresça e se difunda atingindo todas as classes sociais de maneira global, os jovens estão cada vez menos conscientes sobre o que realmente acontece em sua geração em sua geração, por que simplesmente seu principal instrumento  conscientizador que é a música deixou de tratar sobre a realidade para tratar de assuntos não necessários.
  Já que preferência é algo muito singular, não vamos simplesmente dizer que a música antiga era melhor que a atual, mas que os jovens de épocas passadas eram mais conscientes que os atuais e adquiriam essa consciência através do ato de ouvir música.

Macarrão hoje, amanhã e sempre!

Produção de texto - Crônica, feita por mim e minha Best Friend Harumi quando ainda estudávamos juntas no 1º ano do ensino médio na E.E. Profª Ana Maria Pagiossi, era 2009... Tiramos 10 com direito a "muito bem!" da  fessora.
             Repara 


"Uma das coisas boas que a  escola no proporciona é: MERENDA! " -Como diz meu filho- Isso me faz lembrar dos meu tempos de criança quando era o último a sair da sala e o primeiro a pegar merenda. Daí você se pergunta: Como isso é póssivel?! A resposta é bem simples, você só tem que ser o maio e mais forte da turma, mas como não era meu caso, ser rápido ajudava.
  Um dos meus pratos prediletos era macarrão, ou melhor, a única coisa que a escola podia servir depois de mandarem um caminhão cheio disso. Pensa que é ruim? Eram vários pratos diferentes: macarrão com carne, macarrão com salsicha, macarrão com sardinha, macarrão com frango e é claro, sopa de macarrão.
  Certa vez, iam servir macarrão com salsicha, e eu como sempre, fui furar fila. Foi involuntário, já que estava sendo uma coisa rotineira. Fui entrando na frente de alguém que nem vi quem era, derrepente senti meu olho afundando, uma terrível dor no crânio e logo percebi que estava na frente do maior e mais forte, o valentão da escola.
  Em um desses dias ai, vi meu filho chegando da descola com um olho roxo, preocupado , perguntei o que havia acontecido, ele me respondeu:
  -Hoje foi macarrão...

Conto gótico III - Ela o deixou

 
  Estavam eles unidos pelo abismo que até outro dia iria separa-los, cessou a chuva mas a lua já não brilhava, nem tinha estrelas no céu, apenas uma leve brisa que soprava as faces desfalecidas deles e uma farta poça de sangue, a lamparina ainda estava acesa, iluminava seus corpos o dele mais pálido do que o normal um olhar fixo, seu coração já não pulsava mais, ao contrario do dela que ainda que fraco palpitava lentamente o suficiente para que ela rapidamente abrisse os olhos, a brisa entrou nas suas ventas preenchendo seu corpo de vida.
  Sua primeira visão foi a lua mesmo que ofuscada, sentia uma insuportável dor em seu crânio, levantou-se e ao olhar para o lado viu aquele violão, estranho pois o reconheceu, foi tateando, quis vê-lo de perto para ter certeza. Sim era aquele que a encantava, era de seu amado.
  Uma pergunta veio-lhe a mente: Por que ele estaria ali? Segurou firmemente o violão em uma e aquela lamparina na outra na outra mão, foi ai que percebeu que pisava no sangue, já com lágrimas nos olhos seguiu iluminando e logo viu que ele estava lá, seu Amado Ruivo a encontrou.
  Logo a lamparina e o violão foram ao chão, num gesto de desespero ela o abraçava como se esperasse traze-lo de volta. Banhou o corpo dele com suas lágrimas e fechou os olhos dele lentamente como um sinal de despedida.
  Retirou das costa dele a mochila e percebeu que nela havia um punhal, quando o retirou da sua bainha ouviu ao longe um latido que rapidamente se aproximou, ela olhou para trás viu uma tocha acesa e ouviu uma voz, grave como um trovão, um homem que tinha a pele negra como a noite, seus olhos brilhavam como duas estrelas, antes que ele pudesse fazer algo ela enfiou o punhal contra seu peito.
  O homem correu o mais rápido que pode junto de seu animal que ainda latia, ao chegar lá viu o Amado da moça que já não tinha volta, assim virou-se para ela tomou-a em seu braços tentou retirar o punhal, tentava estancar o sangue que não parava de jorrar.
  Driblando as pedras do abismo, como quem tenta não enxergar a realidade o homem a levou para sua cabana, ele morava lá já a algum tempo, conhecia todos os atalhos, tinha a melhor das intenções, ficou profundamente encantado com a beleza da moça e não queria deixar perde-la . Não havia necessidade de tal ação mas ele não podia evitar era movido por um sentimento que ainda não conhecia.
  Enquanto ele tentava tratar o ferimento dela uma súbita desilusão tomou seu coração, como o sangue dela escorria entre os dedos dele a alma escorria do corpo dela e não havia nada a ser feito. E o sol surgiu no horizonte.

Alforria do trabalhador

Essa foi a minha redação na porva do Enem este ano que teve como tema: O trabalho na construção da Dignidade Humana  

Durante um período de nossas vidas precisamos trabalhar, seja para bem próprio ou para um bem comum, tendo que levantar de madrugada pra ir trabalhar ou chegando do trabalho nesse mesmo horário. Atualmente temos o privilegio de poder escolher e nos especializar em uma área que seja ao mesmo tempo prazeroso e lucrativo conseguindo um emprego que tenha benefícios, vale alimentação, vale transporte, fundo de garantia, dessimo terceiro salário, férias e mesmo assim se algo não estiver satisfatório temos onde reclamar, podemos fazer nosso horário e as nossas folgas cada vez nos tornando menos independente de um patrão.
  Já vivemos períodos nos quais não havia opção: nascia no campo, trabalhava no campo e morria no campo, mas mesmo assim podia-se dizer que o camponês era feliz, pois produzia para consumo próprio. Então chegamos na revolução industrial vivida também em nosso país. Esses camponeses nem conheciam muito menos discutiam assedio moral, nem direitos humanos ou  direitos trabalhistas. 
  O homem do campo não podiam competir com seus produtos artesanais, com uma maquina que produzia em massa, ele via-se obrigado a produzir para um terceiro sem muitas condições de trabalho, estavam sem saída, com tanta mão de obra disponível os empresários não se preocupavam caso seus trabalhadores morressem na linha de produção, com o salário que era tão pouco que mal dava para alimentar a família, o trabalhador era facilmente substituido.
  Não é possível  que todos se calem em uma situação assim, é direito do ser humano querer dignidade em seu trabalho. Movidos pela busca de melhorias foram criados os sindicatos que existem até hoje, cada vez buscando mais direitos para o trabalhador. Hoje com a carga horária máxima estabelecida, onde o homem pode viver para trabalhar e não trabalhar para viver, deixando de ser um escravo do trabalho.

Diretas conscientes já!

  "Qual a importância das eleições no Brasil e quais as expectativas do povo brasileiro em relação as melhorias em todas as camadas ou esferas sociais."

  O Brasil sempre quis se tornar indepedente, começou deixando de ser colônia de Portugal, no inicio do século XIX, anos depois tentando se tornar um pouco democrata proclamou a república, com uma democracia que não para todos apenas funcionava para a elite do país, militares, cafeicultores e profissionais liberais. Nessa época os votos eram censitários, ou seja, só votava homens acima de 25 anos com alto nível de renda, a minoria no nosso país.
 Durante a ditadura militar (1964 - 1985), nem se quer essa elite do Brasil podia se manifestar politicamente, tiraram totalmente o direito da população de opinar, após experimentar a democracia era de se esperar que a população a quisesse de volta.
  Com sede de revolução muitos civis se manifestaram contra a politica e após controversas, constitui-se as eleições diretas em nosso país, com o fim da ditadura militar formamos o sistema que usamos até hoje.
  Desvalorizando os esforços que os brasileiros fizeram para atingir a democracia as pessoas costumam votar apenas por serem obrigadas, muitos nem dão satisfação de ausência. Para os políticos é vantajoso, visto que, quanto maior o desinteresse mais fácil para se fazer o que se quer.
  Todos nós gostamos de ser beneficiados pelo governo, quem não quer tudo de graça? Mas a grande maioria não se preocupa com o modo que é feito, mesmo sabendo que quem colocamos no poder é o principal responsável pela nossa sociedade, é crucial que analisemos atentamente as propostas dos candidatos para eleger aquele que realmente crie melhorias para a população e que possamos cobrar depois que ele esteja eleito.

Following